Capri Villa Jovis

Mapa

A casa onde o Imperador Tibério se dedicou a vida privada.

O Imperador Tibério sabia curtir a vida: ele fugiu da rumorosa e caótica Roma e veio para Capri para se dedicar ao ócio contemplativo.

Em Capri Tibério possuía 12 casas, mas a principal era Villa Jovis, construída no I século d.C. na extremidade leste da ilha. Trata-se de uma área de cerca 7.000 metros quadrados, onde domina o inteiro promontório de Monte Tibério e a bacia que desce em direção a Cesina. É possível apreciar a vista do lado norte que dá para uma boa parte do Golfo de Nápoles, com pedaços da Ilha de Ischia até a Punta Campanella, enquanto do lado sul está o centro de Capri.

Como chegar na Villa Jovis

Da praça Umberto I, passe pela Via Le Botteghe, Via Fuorlovado, Via Croce e Via Tiberio ou sempre partindo da praça Umberto I, percorra a Via Longano, Via Sopramonte e Via Tiberio.
Prepare-se: a rua é uma subida sem fim
Tempo: 45 minutos.

Uma das peculiaridades arquitetônicas da Villa Jovis é que ela não lembra apenas as casas do período romano, mas também possui características de uma pequena fortaleza. No centro se encontram as cisternas que recolhiam a água das chuvas - recurso fundamental em uma ilha privada de fontes naturais - que era usada seja como água potável seja como reserva para as termas que se dividiam em ambientes clássicos do apodyterium, frigidarium, tepidarum e calidarium.

Do lado oeste da casa se encontrava a área destinada aos servos e do lado norte o alojamento do imperador e dos seus colaboradores mais fiéis como o "astrólogo Trasillo". Do lado leste, ao contrário, se encontrava a "sala do trono".

O antigo farol usado para comunicação com a terra firme e para as observações astronômicas desabou por causa de um terremoto poucos dias após a morte de Tibério.

Descoberta no século XVIII durante o domínio de Carlo di Borbone, Villa Jovis é bem conservada, embora muitos restos arqueológicos tenham se perdido. Outros, ao contrário, foram conservados nas salas do Museo Archeologico di Napoli e na Igreja de Santo Stefano de Capri. Alguns elementos da massa de vidro de cor vermelha e azul foram usados par a mitra e o colar de San Costanzo, o santo protetor da Ilha de Capri.

Apenas em 1932 foi iniciado um trabalho para recuperar e valorizar realmente as ruínas de Villa Jovis. A obra de restauração foi dirigida pelo arqueólogo Amadeo Maiuri, que na época era Soprintendente alle Antichità della Campania (Superintendente de Antiguidades da Campania) e Diretor do Museo Archeologico Nazionale de Nápoles. Graças ao seu trabalho foi possível liberar o local das pedras que se acumularam com o passar dos anos. Hoje o último pedaço de rua que permite o acesso a Villa Jovis é dedicado exatamente ao arqueólogo napolitano que permitiu de dar luz a uma das principais residências de Tibério em Capri.

Villa Jovis - Informazioni pratiche
Orario di visita: 11.00-15.00
Chiusa i martedì della prima metà del mese e le domeniche nella seconda metà del mese.
Ingresso: 2 Euro

Alguma dúvida? Pergunte aqui! (New)

Inspire-se...

  • 1
  • 2
  • 3

Hotéis em destaque